Archive for the ‘Futebol !’ Category

O amor é azulzinho ou aqui se faz, aqui se paga (éditions UEFA)

agosto 25, 2011

Quem costuma freqüentar esta irregular birosca ciberespacial sabe que se há uma instituição cuja lisura eu não confio é na UEFA de Platini. E é aquela coisa: ela nunca falha.

Para começar, o que há de novo no cenário futebolístico deste ano? Contratações? Não muito. O Madrid não contratou nenhum galático. O Barça repatriou Cesc e pegou um chileno da Udinese, bom futebol, mas nada tanto assim. Os italianos seguem na miséria, o Chelsea canibaliza seus rivais imediatos ingleses (Torres e o prolongado assédio a Modric), Ferguson aderiu à “pedagogia” de Wenger, que por sua vez não sabe para onde vai…

Há, no entanto, um trio de novidades em relação aos anos recentes. Três times reaparecem. Um, o campeão alemão, um Dortmund que perdeu seu principal criador para o Madrid (Sahin) mas que se mantém razoavelmente intacto. Outro, o Napoli. Terceiro no italiano, nenhuma das três cobiçáveis peças ofensivas do Napoli saiu: Cavani, Hamsik e Lavezzi. E a terceira, o Manchester City, um time com recursos e jogadores para disputar tanto a premier league quanto a champions.

Como o City andou disputando Liga Euro, terceiro pote. Como Napoli e Dortmund andaram sumidos, quarto pote.

Não sei se vocês sabem, mas há uma guerra em curso pelo controle do futebol mundial. De um lado os grandes clubes, do outro a FIFA e as federações. Rummenigge, diretor do Bayern, é o porta-voz dos clubes. Rummenigge já sinalizou que em 14, pós-copa do mundo, os grandes clubes podem dar adeus à UEFA e sua Champions League e fazer o campeonato que realmente interessa aos espectadores globais e seus patrocinadores. Um campeonato em que o APOEL e o BATE Borisov não tem vez no horário nobre de terças e quartas, mas na qual o risco da Juventus estar excluída seja muito, muito baixo.

Vamos ao sorteio. Do pote 3 o Bayern recebeu o City. Do pote 4, sem poder receber o Dortmund, o Bayern recebeu o Napoli. Juntando à lista o resistente Villareal, este é um grupo dificílimo. As quatro principais nações estão representadas, coisa nunca aconteceu na fase de grupos neste século. Com seu time de craques frágeis (Robben e Ribery), o Bayern provavelmente terá que abrir mão de disputar o título da Bundesliga para poder se manter na Champions League. O amor é azulzinho, com o submarino amarelo enfiado pelo meio.

No mais, Barcelona recebeu um grupo com desiguais e belos jogos a serem feitos, muitas jogadas bonitas contra times absolutamente medíocres, e um par de partidas épicas contra um Milan onde está seu enjeitado Ibra. O Madrid enfrenta o Lyon pela enésima vez, com um restante de grupo com história e pouco mais (Ajax e Zagreb). United e Benfica reeditam seu clássico, acompanhados por um time romeno que foi campeão nacional pela primeira vez na última temporada e pelo Basiléia, qual seja, um par de clássicos e quatro partidas ridículas para o Manchester mostrar um lindo futebol.

Arsenal, Marseille, Dortmund e Olympiakos fazem um grupo duro, assim como Inter, Lille e CSKA. Chelsea, Valencia e Neverkusen, e Porto, Shakthar e Zenit fazem grupos enjoados, em que Chelsea e Porto terão que se esforçar para chegar em primeiro e tomar cuidado para não serem rebaixados à Liga Euro.

Anúncios

Exumando a copa América (1): A simplicidade de um churrasco

agosto 2, 2011

Esta Copa América foi marcada pelo fracasso de duas tentativas de reproduzir o 4-3-3 do Barcelona. Mas disso falarei depois.

Visualizemos um time com a seguinte formação: dois sujeitos (elementos, indivíduos, escolha o termo policial a gosto) sólidos, sem sutileza, no centro do meio campo; um par de incansáveis, um de cada lado; preeminência dos caras que estão na frente. A seleção do gaúcho Felipão jogou assim para ganhar o mundial. Claro que a receita era outra (um 5-2-3 ao invés do ortodoxo 4-4-2 uruguaio), mas no fundo o mesmo churrasco. Churrasco é coisa simples, sem invenções, sem necessidade de grandes equipamentos, sofisticação técnica, etc e tal. Claro que sem carnes adequadas, sem uma habilidade não propriamente trivial, o churrasco não sai no ponto. Mas a culinária molecular de la Masia é por demais complexa para quem não maneja o catalão desde a mais tenra juventude.

IMVHO, tudo correndo bem o notável nesta edição deliciosa da seleção uruguaia dificilmente se repetirá nas eliminatórias e na próxima copa: a contusão de Cavani. Cavani ainda é usado pelos uruguaios no seu papel original de ponta direita. No Napoli, no entanto, Cavani é O Centro-avante. Assim, maiúsculo. Se antes ele seria um sub-Recoba, hoje é ele é um über-Abreu.

Saiu um atacante, entrou um outro homem de contenção. Sobraram dois atacantes. E ai vai a beleza toda da coisa. Em 1997 Antônio Lopes fez uma interessante inversão no Vasco: pegou o atacante habilidoso, driblador, móvel, com passe criativo e colocou lá na frente, como puro centro-avante. Pegou o centro-avante experiente, matador, lutador, e tacou o pobre coitado para fazer o papel de armandinho, carregando bola pelo meio. Vasco campeão, Edmundo artilheiro recorde. Suárez e Forlán foram uma reedição de Edmundo e Edmar. É bem verdade que Forlán já vinha fazendo esse papel na seleção desde a copa do mundo. O genial Suárez como peça final do ataque, esta é uma sacação muito boa.

Dificilmente Tabárez vai manter um de seus três melhores jogadores fora do time. Deveria. A (boa, mas longe de excepcional) qualidade do restante do time exige as duas linhas de quatro.

Fora isso, Loco Abreu fez o melhor comentário futebolístico do ano.

fex-nômeno

junho 8, 2011

Ao pobre, a imagem do fenômeno em campo dava a sensação de estar assistindo o jogo numa TV de LCD (daquelas que costuma haver em bares, restaurantes e casas de pessoas que não se dão ao trabalho de alterar a configuração) na sua TV convencional. Pois, em 4×3 Ronaldo agora é 16×9.

Ao final da partida, no entanto, sua caminhada me fez pensar em algo mais sinistro, uma conspiração …

Em 13 de junho de 2006 Ronaldo esteve em campo contra a Croácia. Esteve? A ausência de forma não explicaria aquela imobilidade. Ou ele estava com problemas neurológicos graves, ou sob medicação anti-psicótica, ou sob a ameaça de gangues de apostadores dos Balcãs, ou… ou não era bem ele que estava ali. Mas fosse alguma maravilha mecânica da Nike ou alguém sob grave perturbação física e mental, misteriosamente Ronaldo era outro na partida seguinte. Longe de ser o fenômeno de outrora, mas agora com a capacidade de ao menos ficar impedido. E fazendo jogadas como nunca se viu ele fazer antes: usando a cabeça e não os pés.

Voltando, dia 13 jogo com a Croácia, dia 18 jogo contra a Austrália. Entre elas? Dia 17 deixou o mundo Bussunda. Deixou?

Creio que o andar de Ronaldo ao se despedir deixou claro o que aconteceu. Ronaldo, se é que ainda era ele ali, teve um peripaque mais grave que o de 1998, perecendo ou ficando irremediavelmente comprometido. Talvez esteja por aí, talvez tenha sido ele mesmo que, “mentalmente desafiado”, pegou os travestis na Barra. Mas concretamente, a partir daquele momento Bussunda assumiu o papel de Ronaldo, sacrificando sua carreira, sua família, seus amigos, em nome de manter a esperança de uma nação e o IBOPE da Globo.

Vocês dirão: fantasia? Não, há precedentes.

Aposta na véspera do sorteio

agosto 26, 2010

Será que são cínicos o bastante para colocar Inter e Real Madrid no mesmo grupo?

Daqui a pouco, a final

julho 11, 2010

36 anos depois a tragédia tornada farsa enfrenta a Fúria. Ou melhor, o Barça.

Deep Thought – 2012

novembro 24, 2009

O Botafogo ganhou do São Paulo, pondo em risco a liderança deste na antepenúltima rodada. O Tottenham aplicou uma goleada de nove a um.

Essa campanha publicitária do filme 2012 está exagerando…

Recado truncado

agosto 31, 2009

Parece que veio uma ordem de cima na CBF para que o juiz roubasse a favor do tricolor contra o alvinegro. Infelizmente, houve uma pequena confusão em relação aos confrontos, e o pobre Fluminense sofreu uma derrota enquanto o Botafogo, em sua própria casa, era garfado em favor do Grêmio.

Tem que ser esta a explicação, pois a coisa está passando dos limites!

Não que me importe com isso: eu deixei de assistir ao Brasileirão quando da agressão sofrida pelo Botafogo contra o Náutico, e não assisto mais o campeonato carioca enquanto a turma do jornalismo desportivo da Globo não estiver na rua. Trata-se de um boicote individual, mas não sou o único. Outro dia um colega cá do trabalho cancelou sua assinatura de O Globo. Razão, que ele vociferou contra o funcionario do tele-atendimento: ele só assinava a merda do jornal por conta da parte esportiva, e como esta só estava preocupada em cobrir o Flamengo, exaltar o Flamengo e tentar tapar o sol com a peneira pelo Flamengo, ele não tinha porque ler aquela merda. O funcionário tentou lhe dar o telefone de sugestões, mas este é um blog familiar e não trancreverei a resposta que meu amigo deu.

Não tenho como descrever a partida. Não vi. Mas as pessoas insistem em vir me contar.

Há muito, bom e honesto futebol para ser visto na TV. Mas não na Globo e nem jogado aqui nessas terras. Quando não tiver mais audiência, eles passam a transmitir o Faustão, com todas suas sinergias com os outros programas da empresa. Deve ser esse o plano…

Como se escreve caixa d’água em francês?

agosto 27, 2009

E eis que se sorteiam os grupos para a Champions 2009-2010. Não vou aqui calcular as probabilidades, mas os deuses da sorte certamente conspiram.

Vejamos:

F) Barcelona, campeão, está no primeiro pote. Barcelona fez uma grande transação de jogador, Eto’o e um caminhão de euros de dimensões madrilhenhas por Ibra, da Inter. Tirando Real Madrid (que por ser espanhol esta fora) há 7 clubes que podem ser sorteados e… tcham tcham tcham.. deu Inter. E, de quebra, o técnico é o Mourinho, que enfrentou o Barcelona duas vezes como técnico do Chelsea, com direito a muita polêmica e presepada. Uma chance em 7, uau, que sorte! Claro que como ninguém quer correr o risco de ver Barcelona e Inter fora dos mata-matas, completa-se a lista com Dinamo de Kiev e Rubin Kazan (Russo).

C) O Real Madrid, que está nos segundo pote, foi quem mais investiu no aperfeiçoamento de seu plantel. Afinal, a nação catalã conseguiu TODOS os títulos disputados. Portanto, o Madrid teve que fazer algo como um projeto Apollo futebolístico. 2 grandes nomes, CR9 (porque a 7 é de Raul, obviamente) e Kaka. Ambos oriundos de times do primeiro pote… and the winner is… Milan! Duas chances em 7 e sai o Milan. Lucky television bastards… Completam o Marselha e o Zurique. Bem, o Marselha já tem acesso à Liga Europa garantido. E mais: o terceiro nomão contratado pelo Madrid foi Benzema, ex- Lyon, titular da seleção francesa. Pois quem está lá com a camisa 10 do Olimpique: Ben Harfa! Não é uma linda coincidência?

A) A diversão não para. Já foram os dois times grandes da Espanha e o campeão italiano. Vamos então a um time que mora no coração da UEFA, aquele que é a base da seleção Alemã, principal das que vestem Adidas, esse pequeno e industrioso país cantado pelo Run DMC e que nos cedeu Blatter para a FIFA. O Bayern, uma espécie de São Paulo com menor favorecimento de arbitragem, não comprou ninguém de relevante fora da Alemanha (parece que vai comprar o indesejado Robben, mas não está confirmado ainda*), mas tomou Mario Gomez (a peso de ouro, é bem verdade) do Stuttgart. E manteve Ribery como prisioneiro na torre. Portanto, nenhuma grande contratação que possa ser sorteada, seus possíveis grandes rivais não podem ser sorteados com ele (United no primeiro pote, Real já com o Milan). Bem, que outra grande movimentação ouve no futebol alemão recentemente? Que tal um jogador que na temporada que acabou marcou vinte gols, ganhou a Copa da Alemanha, levou seu time até a final da Copa da Uefa (na qual ele não jogou) e que tenha sido jogador do ano da Alemanha 3 temporadas atrás? Pois então, Diego, certamente um dos cinco principais jogadores da Bundesliga nesses últimos 3 anos, que foi a principal contratação da Juventus, que está no segundo pote que… oh!, incrível coincidência, Bayern e Juventus no mesmo grupo! Para completar Bordeaux e Maccabi Haifa. Nada como um time israelense e um time alemão no mesmo grupo. Se sincronizar com o lançamento do DVD de “inglourious Basterds”… Haverá palestinos torcendo pelo jejuante Ribery? Bem, o Bordeaux também tem seu acesso à Liga Europa garantido.

H) Sobram no primeiro pote o Sevilha e os 4 ingleses. Qual seja, vamos discutir os ingleses e o que sobrar é Sevilha. Comecemos pelo mais importante dos times franceses dos últimos 15 anos: o Arsenal. O Arsenal sangrou mais alguns veteranos bem estabelecidos (Adebayor e Toure, que de qualquer forma passariam janeiro na África), não fez nenhuma grande contratação, tem um elenco jovem e curto, disputa um complicado campeonato inglês com City e Aston Villa (não vou contar o Tottenham e o Everton entre os que podem complicar porque eles têm tradições de incompetência a zelar) querendo se imiscuir entre o quarteto… “Lombardi, você troca o AZ Alkmaar por qualquer outro time do segundo pote?” O Arsenal pegou não só o Alkmaar, como Olympiakos e o Standard Liege. Qual seja, imvho, o time mais fraco do segundo pote, o time mais fraco do terceiro pote, e um time que não era o Wolfsburg no quarto pote. Preparem-se para ver os juvenis do Arsenal não só na Carling Cup, mas também na Champions League. Reparem em Ramsey e Wilshere.

B) O Manchester… Nenhuma grande contratação, só uma saída. Do ponto de vista da Champions, claro, porque Tevez só mudou de estádio no mesmo prédio. Vejamos as rivalidades recentes…. Roma? fora… Barcelona, Milan? primeiro pote… Porto? sem CR7 perdeu a graça… Bem, o time desinvestiu, portanto, let’s play it safe. CSKA é tudo de bom (quase Alkmaar) e Besiktas não é um mau negócio. Veio o Wolfsburg. É, a disputa pela segunda vaga será intensa. Boas chances do campeão alemão ir para o mata-mata.

D) Se o United não levou o Porto, que nos anos recentes sempre pegou ingleses na primeira fase, quem foi o laureado dessa vez? O Chelsea. O Chelsea tem em seu time os dois principais jogadores do time que ganhou a Champions a pouco mais de meia década: Deco e Ricardo Carvalho. E tem o Bosingwa. E tem o Paulo Ferreira. Caramba, o Chelsea tem tantos (ou mais) jogadores na Seleção portuguesa que o próprio Porto, e todos vieram do Porto. Boa combinação. Completam o grupo os Colchoneros, a maior pedreira do terceiro pote, que, olha que interessante: foram eliminados pelo Porto nas oitavas de final do ano passado! e o Nicosia, que, francamente…

E) O Liverpool é um time com uma certa tradição. Inclusive com a tradição de estragar a festa de gente de bem, como aconteceu com o Milan lá na Turquia. Sobrou quem? O Lyon não foi bem no ano passado (graças a deus, deve dizer Platini, pois recordes como o do Lyon deixam campeonatos desinteressantes e ajudam a acabar com as lendas sobre craques). Mas incomoda. Ponhamos o Lyon. Ponhamos também a Fiorentina. Pronto, um “grupo da morte” Tem o Debrecen, da Hungria. Nada como co caminho dos campeões para garantir que Debrecen, Nicosia e outras merdas venham a ocupar vagas que deveriam ser de Sporting, Celtic etc. E aí cabe um parêntese. O Sporting foi vergonhosamente roubado na partida em casa contra a desequilibrada defesa da Fiorentina. Se a Fiorentina fosse eliminada, isso poderia ter um impacto decisivo para a Itália: perder a quarta vaga para a Alemanha, o que causaria um grande rebuliço, pois a Itália tem 3 times com bala na agulha, e a Alemanha só tem um. Mais uma temporada de Milan fora da Europa, e adeus Champions e bem vindo um campeonato dos grandes clubes sem concessões às federações nacionais e outras daquelas coisas que elegeram Platini.

G) Sobrou o Sevilha. Rangers e Stugartt ali garantem um grupo desinteressante, que tanto faz como tanto fez quem ganhe. Está certo que muita gente pode achar que o Sevilha, tendo o centro-avante da seleção brasileira… ha ha ha! Tem também uns romenos no grupo, ha ha ha.

E foi esse o sorteio. A separação da fase de classificação entre o caminho dos campeões e o dos “não-campeões” garantiu que alguns timinhos de merde entrassem no lugar de Sporting, Celtic e Panathinaicos. A tentativa de produzir “balanço”, como a arbitragem entre Chelsea e Barcelona do ano passado, continua.

Por enquanto é isso.

 

* Confirmado: Robben é mais um triste talento aprisionado na luminosa arena da Baviera.

Quem irá pará-lo?

maio 5, 2009

“The question is not when he’s gonna stop, but who is gonna stop him…”

Hoje Cristiano Ronaldo botou as fichas na mesa e disse “dobro!”. O Trajano pode ter posto culpas no coitado do juvenil que estava ocupando a lateral esquerda do Arsenal (nessas horas Flamini faz falta), mas não foi aquele lance sozinho que matou a partida. O manchester entrou com sua formação de combate: Carrick e os dois meiocampistas mais jovens (Anderson e Fletcher), Rooney na esquerda, Park na direita, Cristiano Ronaldo pelo meio, pela direita, pela esquerda, por toda parte. Hoje o Manchester do ano passado – o Manchester de Carlos Queiroz – esteve em campo.

Cristiano foi o Man (Utd) of the match, não há a menor dúvida. Park certamente foi o segundo nome. Park é uma versão futebolística de Danny the Dog, que Ferguson deixa guardada só para as partidas críticas. A interação dos dois com Rooney para o terceiro gol foi notável. Ao contrário dos toques precisos e curtos do Barcelona, do envolvimento produzido por Xavi e Iniesta, ali se vê o futebol de pura explosão e velocidade. Não mais que oito toques entre o toque de calcanhar de Cristiano Ronaldo nas imediações da própria área para a finalização dele mesmo na área do Arsenal.

Anderson jogou uma bela partida – em que pese ter sido desarmado de forma banal pelo menos um par de vezes – e crescentemente se mostra o futuro elemento de criação do meio-campo do Manchester. Giggs entrou em seu lugar, e foi uma pena ele ter perdido o quarto gol numa interação maravilhosa com Cristiano Ronaldo.

No andar da carruagem, Roma verá uma partida histórica.

O Clássico (terceiro mundo)

maio 5, 2009

No penalti marcado, Juan repetiu uma foto muito interessante, Truman Capote na capa do single de “um rapaz com uma tora atrás“, do Smiths. No não marcado… bem, dois cortes tão bem executados com a mão qualificam-no para a vaga do Serginho de líbero da seleção de volei. O penalti, surpreendentemente, não foi acompanhado por um cartão amarelo. Mas para Juan levar um cartão amarelo, como foi mostrado na partida anterior, é necessário cometer um ato muito grave. Nem os Bambis em sua glória gozaram e gozam dessa imunidade.

Assisti o jogo na Bandeirantes, comentários do increditável Sérgio Noronha. Terminado o primeiro tempo, um gol espírita, uma falta que desviou na barreira, o Botafogo com menos erros de passe, mais chutes a gol, menos faltas, mas para o comentarista obviamente o Flamengo jogou melhor porque o resultado era 2 x 0 e Flamengo teve mais posse de bola. Bem, antes a burrice que a torcida, que tinha sido o caso da Globo com Junior e Wright na partida anterior. A Globo não me espere como espectador no Brasileiro (sobre isso, virá um post depois).

Certas coisas só acontecem com o Botafogo, o Tottenham e o Atlético de Madri.

Mas voltando ao caso Juan, por que a fraude nas duas partidas? Fazendo uma antropologia barata, ganhar roubado faz com que a massa rubro negra possa se sentir como Daniel Dantas. Você sente o poder de seus números e dos interesses por trás deles corrompendo a justiça. E, neste sentido, o locupletemo-nos todos se realiza, ao menos no plano simbólico. Claro que alguns ficam com dinheiro, carrões e putas, enquanto a massa do die trying fica com a euforia, a ressaca e a fanfarronada.