Cortina rasgada

A cortina de ferro dos EUA no Oriente Médio conhece seu 68. Trabalhadores, universitários, o carro alegre toma conta das ruas, desbancando o conforto simbólico dos inimigos de praxe do mundo atual. O velho vilão, aquele que está dentro de suas fronteiras, reaparece: luta de classes, juventude, reapropriação dos espaços criados pelo capital no confronto.
No radio toca agora um poema de Maiakovski. Curiosa cincidência.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: